O CAMINHO

A HISTÓRIA DO CAMINHO

Segundo a lenda católica, após a dispersão dos Apóstolos pelo mundo, Santiago foi pregar em regiões longínquas, passando algum tempo em Espanha, na Galiza. Quando voltou à Palestina, no ano 44, foi preso e decapitado, a mando de Herodes Agrippa I, filho de Aristobulus e neto de Herodes o Grande. Dois de seus discípulos, Teodoro e Atanásio, roubaram o corpo do mestre e embarcaram-no (num barco com tripulação angélica) e em sete dias chegaram à Galiza e a Iria Flávia onde o sepultaram, secretamente, num bosque de nome Libredón.

Não há certezas quanto à data da descoberta do sepulcro apostólico, mas a maioria das fontes católicas apontam datas entre 813 e 820. A lenda conta que um ermitão do bosque de Libredón, de nome Pelágio (ou Pelaio), observou durante algumas noites seguidas uma “chuva de estrelas” sobre um monte do bosque. Avisado das luzes, o bispo de Iria Flávia, Teodomiro, ordenou escavações e encontrou uma arca de mármore com os ossos do santo e dos seus discípulos.

No “Campus Stellae” – de onde se crê provir a palavra Compostela – foi erigida uma capela para proteger a tumba do apóstolo que se tornou um símbolo da resistência cristã aos ataques dos mouros. A partir do ano 1000 as peregrinações a Santiago popularizam-se, tornando-se a cidade num dos principais centros de peregrinação cristã (a par de Roma e Jerusalém); é também nesta altura que surgem os primeiros relatos de peregrinos que viajaram a Compostela.

No século XII é publicado o primeiro guia do peregrino (do Caminho Francês) – o Códice Calixtino (ou Liber Sancti Jacobi) atribuído ao Papa Calixto II, que proclama ainda que quando o dia do Santo (25 de Julho) é num Domingo, esse é um Ano Santo Jacobeu (com especiais bênçãos e privilégios espirituais para os peregrinos). Grupos de peregrinos começam a chegar de toda a Europa, desenvolvendo as cidades por onde passam, sendo o Caminho Francês o mais utilizado.

O Caminho de Santiago, tal como relatado no Códice Calixtino, é em terra o desenho da Via Láctea, porque esta rota se situa directamente sob a Via Láctea que indica a direcção de Santiago, servindo assim, na Idade Média, de orientação durante a noite aos peregrinos. Esta associação deu ao Caminho o nome de Caminho das Estrelas e fez com que a chuva de estrelas seja um dos símbolos do culto Jacobeu, juntamente com a Vieira, a Cabaça e o Bordão.

Existem vários Caminhos que percorrem toda a Europa e que desembocam em Santiago de Compostela, sendo que o mais famoso é sem dúvida o chamado Caminho Francês que atravessa a Fronteira Franco-Espanhola nos Pirinéus e atravessa todo o norte de Espanha.

mapa-cam_santiago.jpg

Mapa dos Caminhos de Santiago na Europa Medieval

mapa-medieval.jpg

Mapa dos Caminhos Portugueses de Santiago na Idade Média

Fonte: Site do Centro de Estudos Galegos da Universidade Nova de Lisboa

bito
18.03.2008

O CAMINHO
Partindo do princípio que os 342 hits que o blog já teve nestes 4 ou 5 dias não fomos nós os 6 que cá viemos 57 vezes cada um, isto significa que a nossa viagem está a ter um bom nível de participação/curiosidade por parte dos nossos amigos.
E ainda nem saímos daqui… Imaginem quando já formos a Caminho de Santiago!

Assim sendo, vamos lá falar um bocadinho do itinerário que vamos seguir.
Se repararam, o sub-título do blog é “Évora-Santiago de btt”, mas para sermos mais precisos deveria ser “Évora-Guimarães de jeep + Guimarães-Santiago de btt”. Passo a explicar: É que embora não pareça… esta malta TRABALHA! De facto, ir de jeep até Guimarães poupa-nos algum tempo de viagem… sim, porque esta malta TRABALHA! Assim, temos uma primeira etapa (de jeep) até Guimarães, apenas para nos pormos rapidamente no ponto de partida (porque esta malta TRABALHA!), e depois 3 dias a pedalar desde Guimarães até Santiago de Compostela… que é o verdadeiro Caminho de Santiago!

Aqui, importa explicar o porquê de Guimarães e não outro sítio qualquer. Na realidade, historicamente, o Caminho Português de Santiago não tem um ponto de início definido, tendo antes muitos caminhos que variam com o ponto de origem geográfica do peregrino e que, à medida que se vão aproximando da fronteira norte de Portugal (Caminha-Tui) se vão unindo.
Nesta fase final, destacam-se 2 itinerários: O Caminho Português do Norte (ou do Noroeste ou do Litoral), a partir do Porto, e o Caminho Português do Interior, a partir de Guimarães-Braga.

caminho-pt_novo.gif

Ora o “nosso”, como já perceberam, vai ser o Caminho Português do Interior…
Vão ser 211 km divididos entre estrada, “caminhos de cabras”, trilhos de terra, de pedras, de subidas, de descidas… os do pedal a penar e os outros a gozar!

Mais detalhes sobre as 3 etapas do Caminho Português do Interior surgirão num próximo post.

Nota: O Caminho Português do Norte, a partir do Porto, tem mais 20 a 30 km e além disso, não podemos perder tempo… sim, porque esta malta TRABALHA!

bito
10.03.2008

211 Km DE PEDAL

Como já aqui ficou dito, o “nosso” caminho vai ser o Caminho Português do Interior, partindo de Guimarães e acabando, obviamente, em Santiago de Compostela.

mapa_caminho_nosso.jpg

Serão 211 km a pedalar até chegarmos a Santiago de Compostela (segundo dados da Associação Espaços Jacobeus).

A razão porque faremos estes 211 km tem a ver com o limite de km mínimo para que a peregrinação seja considerada como tal e para que seja “validada” com a atribuição da Compostela à chegada a Santiago. De facto, a Compostela será apenas atrubuída a quem tiver feito, pelo menos, 100 km a pé ou a cavalo, ou 200 km de bicicleta (que será o nosso caso). A escolha de Guimarães para ponto de partida ficou assim a dever-se ao facto de esta ser a cidade do Caminho Português do Interior mais perto do marco dos 200 km.

Nestes casos, é bastante aconselhável fazer um plano de viagem, embora se saiba que, na prática, este plano nos servirá apenas como referêcia orientadora.
A única certeza que temos é a de que há 211 km entre a primeira pedalada e a chegada a Santiago.
Matematicamente, seriam cerca de 70 km por dia… começar de manhã cedo, fazer 35 km, parar, descansar, almoçar, fazer mais 35 km de tarde, descansar, jantar e dormir, e isto durante 3 dias. Vistas as coisas assim, até nem parece nada de extraordinário… A realidade será seguramente outra, mas desta aventura depois vos daremos contas!

Naturalmente, no primeiro dia estaremos todos mais “frescos” e a ideia é fazer bem mais do que os 70 km, tentando chegar o mais perto possível de Caminha/Tui (fronteira Portugal-Espanha) com pouco menos de metade do caminho feito. Nos dois dias restantes faremos o que resta do caminho tentando chegar a Santiago ainda durante o meio da tarde do terceiro dia.

Mas isto são apenas os nossos planos porque, no fundo, tudo dependerá do terreno e do tempo que encontrarmos e principalmente… das pernas dos artistas!

Nota: Sobre a Compostela falaremos num próximo post a publicar brevemente.

bito
18.03.2008
3 DIAS 3 ETAPAS

Falemos agora com mais pormenor do itinerário que vamos seguir.

Teoricamente, 211 Km divididos por 3 dias seriam aproximadamente 70 Km em cada dia… já anteriormente o tinhamos aqui dito.

Agora, mais informados e depois de discutidas bem as coisas, surgem duas possibilidades:

Opção 1 (a mais equilibrada e mais suave)

Dia 1 – Guimarães – Rubiães – 77 Km
Dia 2 – Rubiães – Pontevedra – 71 Km
Dia 3 – Pontevedra – Santiago de Compostela – 66 Km

Opção 2 (a mais arrojada mas que nos deixa um terceiro dia muito descansado)

Dia 1 – Guimarães – Valença/Tui – 100 Km
Dia 2 – Valença/Tui – Padrón – 90 Km
Dia 3 – Padrón – Santiago de Compostela – 24 km

Segundo as informações de que dispomos, os troços do caminho em Portugal são, de longe, os mais difíceis, quer pela qualidade dos trilhos quer pela própria geografia do terreno. Depois em Espanha as coisas suavizam-se bastante mais, em ambos os aspectos.

Assim, a Opção 1 será a escolhida se à chegada a Rubiães (acabados de fazer a famosa subida da Labruja) os Homens do Pedal já não tiverem pernas para mais nesse dia. Caso se sintam com frescura suficiente, farão mais cerca de 20 Km até Valença/Tui e deste modo seguiremos para a Opção 2.

Nota: Feitas as contas etapa a etapa, o resultado total dá-nos 214 km em vez dos 211 Km anunciados, mas o que são mais 3 Km para este artistas!

bito
12.04.2008
O CAMINHO TROÇO A TROÇO

Como tinhamos referido no post anterior, existem diferenças significativas entre os troços em Portugal e em Espanha.
Estas diferenças verificam-se não só ao nível da qualidade do trilhos e da geografia do terreno, como já tinhamos deixado dito, mas também ao nível da marcação e sinalização do terreno e da informação existente sobre esses mesmos trilhos. Em todos os casos, com prejuízo no que a Portugal diz respeito.

Ainda assim, aqui deixaremos para cada troço do Caminho, um pequeno comentário, um mapa com as distâncias respectivas e o perfil topográfico daqueles que conseguimos encontrar em condições apresentáveis.

bito
13.04.2008

GUIMARÃES – BRAGA

Neste primeiro troço entre Guimarães e Braga, o Caminho coincide com o que hoje em dia é a Estrada Nacional 101.

Serão portanto, 22 Km de estrada de alcatrão, em “velocidade de cruzeiro”, apenas para fazer o aquecimento para o Caminho “a sério” que começa à saída de Braga.

Ou seja… Nada a Declarar!

Troço: 22 Km
Total: 22 Km

bito
14.04.2008
BRAGA – PONTE DE LIMA

Daqui para a frente entramos no Caminho de Santiago mesmo a sério!
Não que o troço anterior não o fosse já, mas é agora que começamos a entrar nos trilhos de mato, nas aldeias e pontos de referência mais marcantes como rios, serranias, pontes, fontes, cruzeiros, etc.

Serão os primeiros 36 Km (já com algumas subidas) a pedalar entre campos e povoações, entre trilhos de terra e empedrados.

Se tudo correr como previsto, o almoço/descanso será feito à chegada a Ponte de Lima, para recarregar baterias para o troço mais duro que vamos enfrentar em todo o Caminho.

Troço: 36 Km
Total: 58 Km

bito
14.04.2008
PONTE DE LIMA – RUBIÃES

Estamos agora perante o mais difícil de todos os troços do Caminho Português do Interior.

À saida de Ponte de Lima começa a subida da Serra da Labruja, primeiro duma forma relativamente suave para depois, nos últimos 4 Km, subir por um trilho quase impraticável, desde cerca dos 100 metros de altitude até ao seu pico mais alto – a Portela Grande – a 436 metros.

Diz quem já fez este troço de BTT, que temos duas hipóteses… ou se sobe ao lado “dela” ou com “ela” às costas!

Pelo caminho encontramos a Cruz dos Franceses (ou Cruz dos Mortos), que assinala o sítio onde a população local emboscou os retardários franceses do exército de Napoleão, na invasão de 1809. No ponto mais alto temos a Casa do Guarda Florestal e, obviamente, uma vista deslumbrante!

Depois deste enorme esforço, temos a merecida recompensa… até Rubiães é sempre a descer e, como diz o ditado… “Pra baixo todos os Santos ajudam” (Santiago incluido)!

Nota: Quem não tiver pernas para a Labruja, tem como alternativa um caminho a meia encosta que passa ao lado deste dois pontos míticos do caminho e, naturalmente, de todas as emoções que lhes estão associadas… mas isso é pra “meninos”, não é para os nossos Homens!

“Venha de lá essa Labruja!”

Troço: 19 Km
Total: 77 Km

bito
14.04.2008
RUBIÃES – VALENÇA/TUI

Rubiães será o fim do primeiro dia, se a Labruja tiver “dado cabo deles”, ou o início da última etapa do dia, se ainda houver pernas para mais 22 Km a pedalar tranquilamente.

Uma pequena subida no início, bem mais suave que a anterior, e depois resta “planar” até às margens do Rio Minho… do lado de cá o fim de Portugal e do lado de lá o início da Galiza.

Troço: 18/22 Km
Total: 95/99 Km

bito
14.04.2008
VALENÇA/TUI – REDONDELA

Este é sem dúvida um dos troços mais tranquilos do Caminho, quase todo plano, fechando com uma subida e consequente descida até Redondela.

A povoação é muito bonita e será o local ideal para fazer o almoço/descanso se tivermos seguido a Opção 1.

Troço: 31 Km
Total: 130 Km

bito
16.04.2008
REDONDELA – PONTEVEDRA

Este troço, embora um pouco acidentado (com dois montes para subir e um rio para passar), não apresenta grandes dificuldades uma vez que os desníveis não ultrapassam nunca os 80 metros de altitude.

Pontevedra será o fim do segundo dia (para a Opção 1) ou o local para fazer o almoço/descando da segunda “Jornada de Pedal” (para a Opção 2).

Troço: 18 Km
Total: 148 Km

bito
16.04.2008
PONTEVEDRA – CALSAS DE REIS

Sem dificuldades, com uma subida longa mas muito suave, até meio do troço, desce depois, também muito suavemente, até Caldas de Reis.

Será o início do último dia do “nosso” Caminho de Santiago caso se tenha seguido a Opção 1.

Troço: 23 Km
Total: 171 Km

bito
16.04.2008
CALDAS DE REIS – PADRÓN

Neste troço teremos que passar dois montes e três rios (um deles duas vezes). As subidas são um pouco mais intensas que as anteriores, mas depois do segundo monte não se desce muito e pedala-se numa zona de planalto para finalemte se descer até Padrón.

Aqui será o local onde faremos a nossa merecida pausa para o almoço/descanso (para a Opção 1) ou onde terminará o segundo dia de Caminho (para a Opção 2).

Troço: 19 Km
Total: 190 Km

bito
16.04.2008
PADRÓN – SANTIAGO DE COMPOSTELA

O derradeiro troço do “nosso” Caminho de Santiago, obviamente para ambas as Opções, começa suave mas só acaba depois de duas boas subidas, exigindo um último esforço até à chegada, em apoteose, a Santiago de Compostela.

Afinal de contas… assim até dá mais gozo lá chegar a cima!
Todos “rotos” mas felizes!

É assim ou não é?

Troço: 24 Km
Total: 214 Km

bito
16.04.2008
A MARCAÇÃO DO CAMINHO

Naturalmente, uma das grandes preocupações de quem vai fazer uma viagem, seja ela qual for, é saber qual o caminho para chegar ao seu destino.

Ora, raramente no ponto de origem há uma indicação do local de destino… Em Bencatel não há nenhuma seta a dizer Amareleja, em Lisboa não há nenhuma seta a dizer Pias e, obviamente, nem em Évora nem em Guimarães há uma seta a dizer Santiago de Compostela.

Nas estradas nacionais basta seguir as indicações rodoviárias, mas aqui o caso é bastante diferente.

No caso concreto do Caminho Português do Interior que vamos seguir desde Guimarães até Santiago de Compostela, praticamente sempre no “meio do mato”, preocupa-nos de facto a sinalização e, mais ainda, a ausência dela. Perdermo-nos não é seguramente um dos nossos objectivos mais importantes!

Para além dos mapas, dos guias e dos GPS’s que cada um pode levar consigo, a grande ajuda (assim o esperamos) que encontraremos ao longo do caminho serão as marcações no terreno.

2vieira.gif

Inicialmente, o caminho era assinalado pela Vieira de Santiago (Concha de Santiago) que se apresenta sob a forma de elementos de bronze, de cerâmica, de etiquetas, de gravuras, etc., sendo o sentido a seguir indicado pelos “dedos” da vieira, ou seja, o lado aberto da concha indica a direcção de Santiago de Compostela.

1.jpg

Existe apenas uma vieira na marcação do Caminho em que os “dedos” apontam para baixo, mas neste caso há uma justificação… ela está em Finisterra – o fim do Caminho (e o Fim da Terra).

3fisterra.jpg

Depois, por várias razões, a concha deixou de ser eficaz em termos de sinalização do caminho. Devido à tendência dos peregrinos levarem estes objectos como “recuerdo”, eles foram desaparecendo a pouco e pouco. Por outro lado, depois de o Caminho de Santiago ter sido classificado como Itinerário Cultural do Conselho da Europa, a concha estilizada amarela sobre fundo azul foi assumida como símbolo identificador europeu do Caminho de Santiago. Assim, a concha passou a ter carácter de logotipo oficial, identificando apenas a presença do Caminho de Santiago. Deste modo, este logotipo mantém sempre a mesma posição, deixando agora de indicar qualquer direcção. Esta situação veio causar alguma confusão entre os peregrinos menos avisados, uma vez que os “dedos” da concha podem agora indicar uma direcção bastante diferente daquela que é a verdadeira direcção do Caminho de Santiago.

4caminho.jpg 5caminho.jpg

Atenção a situações como a que agora se apresenta e que podem induzir o peregrino a seguir uma direcção errada.

14erro.jpg

As “Flechas Amarillas” 6seta.jpg principal sinalização do actual Caminho de Santiago, começaram a ser pintadas em 1980 pelo Padre Elías Valiña Sanpedro, Pároco do Cebreiro, a primeira localidade galega do Caminho Francês. Desde então foram-se espalhando por todos os caminhos e actualmente são o meio mais seguro de seguir o Caminho de Santiago sem grandes preocupações. A razão porque as setas são amarelas e não de outra cor tem também uma explicação… mas não pensem já em grandes simbolismos! São amarelas apenas porque começaram por ser pintadas com o resto da tinta de marcação de umas obras na estrada, que os trabalhadores ofereceram ao Padre Elías.

O Caminho Português do Interior começou a ser recuperado em 1992 e actualmente está marcado desde Lisboa e de forma bastante completa no troço final Porto-Ponte de Lima-Valença do Minho. Em território espanhol a sinalização é ainda mais completa e eficiente.

A sinalização dos Caminhos Portugueses de Santiago tem sido feita recorrendo ao sistema convencionado para toda a Europa para identificar de forma simples os itinerários jacobeus e que é a seta amarela pintada em muros, paredes, pavimentos, árvores, postes, etc, em todos os locais onde pudessem ocorrer dúvidas, particularmente nos cruzamentos e bifurcações.

7setas.jpg 8setas.jpg

Estas setas foram depois substituídas no troço galego por uma solução definitiva com marcos de pedra com a distância à Catedral de Santiago, incluindo um azulejo azul com uma vieira amarela posicionada de acordo com o sentido da marcha ou, noutros casos, apenas o mesmo azulejo colado em paredes e muros.

9marco.jpg 10marco.jpg

Em Portugal têm-se mantido as setas amarelas, periodicamente retocadas, constituindo uma solução que, embora provisória, é absolutamente segura. Contudo, está já em curso a fixação definitiva de setas metálicas amarelas em todo o percurso, do Porto até Valença.

Para além da sinalização oficial, encontramos por vezes marcações provisórias, feitas pelos peregrinos, quando há problemas com a sinalização existente (mau tempo, azulejos roubados, a vegetação cresceu por cima das marcas).

11fatima.jpg

Uma chamada de atenção para as setas azuis que poderão aparecer (que normalmente apontam o sentido contrário) e que são a indicação do Caminho de Fátima, nomeadamente para orientação dos Peregrinos que de Santiago de Compostela se dirigem a Fátima.

12gr11.jpg

Outro tipo de sianlização que poderemos encontrar são as marcações dos Caminhos de Grand Randonnée (GR), de acordo com o estabelecido pela Federação Francesa de Randonneur (FFR), que em Portugal se designam por Grande Rota e que são percursos pedestres definidos no nosso país pela Federação Portuguesa de Campismo (FPC).

Ao longo do Caminho Português de Santiago, este tipo de sinalização, pode encontrar-se pelo menos entre Rates e Barcelos e entre Ponte de Lima e Valença. É a indicação da GR11-E9, um itinerário que tem origem em S. Petersburgo, na Rússia, atravessa toda a Europa e termina em Portugal na casa de S. Vicente.

Chamamos à atenção para o facto de que os itinerários compostelanos nem sempre são GR e que nem todas as GR são caminhos para Compostela. A GR11-E9 não corresponde integralmente ao traçado do Caminho Português, pois apresenta algumas alternativas pontuais aos troços originais do Caminho de Santiago.

A marcação pode encontrar-se sob a forma de traços pintados sobre árvores, pedras, muros ou de marcações auto-adesivas sobre postes ou ainda sob a forma pequenos painéis acompanhados de textos.

Esta sinalização é constituída por dois traços, um vermelho e um branco, e funciona como se pode ver na imagem apresentada.

13sinalgr.jpg

No caso das Pequenas Rotas (PR) o traço branco passa a ser amarelo mas a nomenclatura da sinalização é a mesma.

Actualmente, podem-se encontrar marcações no caminho, quase, a cada 200/250 metros, pelo que se fizermos mais de 500 metros sem ver uma seta amarela ou um marco, muito provavelmente, estaremos perdidos. Resta voltar atrás e recuperar o caminho certo!

Com toda esta informação, pensamos que não haverá grandes problemas para darmos com o caminho certo, mas se restarem dúvidas só temos que perguntar a alguém… pelo Caminho de Santiago todos o peregrinos são irmãos e amigos!

Por isso…
Vá lá Malta… sigamos “las Flechas Amarillas”!

bito
28.03.2008
OS ALBERGUES

Como não é possível fazer o Caminho de Santiago todo num só dia, é fundamental encontrar um sítio onde dormir no final de cada jornada.

Naturalmente, Hotéis e Pensões haverá um pouco por todas as localidades por onde passa o caminho, mas o “verdadeiro peregrino” tem outras alternativas ao seu dispor, bem mais adequadas à sua condição.

Peregrino que é Peregrino (com P grande) utiliza os Albergues de Peregrinos que existem espalhados ao longo do caminho justamente para os acolher, sendo necessário para tal, ser possuidor da Credencial de Peregrino devidamente carimbada.

Em Portugal, a coisa está ainda pouco generalizada, mas em Espanha, principalmente na Galiza, não há povoação, por mais pequena que seja, que não tenha o seu Albergue de Peregrinos com 5 ou 10 camas pelo menos, chegando o de Santiago a ter espaço para mais de 500 pessoas.

Para colmatar a falta de Albergues de Peregrinos em Portugal, existe um Protocolo com as Pousadas de Juventude, que dá direito a pernoitar em todas as Pousadas de Juventude que fiquem num Caminho de Santiago reconhecido, com um desconto de 10% sobre os preços de tabela.

No site oficial das Pousadas de Juventude podemos fazer a marcação, dizendo que vamos fazer o Caminho de Santiago como Peregrinos (e que temos a Credencial) para assim beneficiarmos do referido desconto.

Para os Albergues de Peregrinos não é possível fazer marcação, sendo que recebem as pessoas, apenas por uma noite, à medida que estas vão chegando, até a lotação estar completa… um pouco como diz o ditado “Quem primeiro chega, primeiro se avia”. Por outro lado, aqui não se pagava nada por pernoitar, sendo a prática corrente, deixar uma pequena contribuição monetária para ajudar nas despesas de manutenção e limpeza do albergue. Actualmente, continuamos a encontrar Albergues onde não se paga, mas a regra passou a ser o pagamento de um valor entre os 3.00€ e os 5.00€ (em Santiago) que, no fundo, não deixa de ser um “valor simbólico”.

Ainda em relação aos Albergues de Peregrinos, importa dizer que eles variam bastante, tanto quanto à sua capacidade quanto às condições de alojamento (camas, casas de banho/balneários, águas quentes/frias, e cozinha de apoio).

No Caminho Português do Interior (que vamos fazer), partindo de Guimarães, acontece de facto que nas primeiras três localidades só temos mesmo as Pousadas de Juventude. Daí para a frente então, começam a aparecer os Albergues de Peregrinos que nos “acompanham” até Santiago de Compostela.

Pousadas de Juventude e Albergues no Caminho Português do Interior
(Guimarães – Santiago de Compostela)

Em Portugal

Em Espanha


bito
21.04.2008

Acrescento agora, mais de um ano depois de ter colocado este post, que abriu finalmente o Albergue de Peregrinos de Ponte de Lima.


Situado logo após a velha ponte (o lugar chama-se “Além da Ponte”, já na freguesia de Arcozelo), o novo Albergue de Peregrinos de Ponte de Lima localiza-se na “Casa do Arnado” (a primeira casa, do lado direito, ao sair da ponte).

Durante o Verão está aberto  das 17 às 22 horas e o contacto do Albergue é o 925403164. (No Inverno terá que se ligar para a Câmara Municipal).

Dispõe de 30 camas e chão para mais 20 colchões e oferece diversos serviços dos quais destacamos: Serviço gratis de Internet; Cozinha equipada; e Lavandaria (tanque).

bito

08.09.2009

XACOBEO 2010 – NORMAS DE UTILIZAÇÃO E OCUPAÇÃO DOS ALBERGUES

Logo-Xacobeo-2010

Jacobeo 2010

A ordem de prioridade para a ocupação dos albergues será a que se refere em seguida:

1) Os peregrinos com limitações físicas.
2) Os peregrinos a pé.
3) Os peregrinos a cavalo.
4) Os peregrinos de bicicleta.
5) As pessoas que viajam nos carros de apoio.

As vagas serão ocupadas com a chegada dos peregrinos aos albergues, sem que em caso algum se admita a possibilidade de realizar reservas.

UTILIZAÇÃO E USO

A utilização do albergue para passar a noite e/ou o uso de qualquer dos seus serviços e instalações, implicará o pagamento de 5 € por pessoa/dia, que se justificará com um recibo entregue pelo responsável do albergue no momento do pagamento.

NORMAS DE COMPORTAMENTO

A utilização por parte dos peregrinos das instalações dos referidos albergues estará sujeita ao cumprimento das seguintes condições:

1) A estadia em cada albergue será de uma só noite, salvo em caso de doença ou outra causa de força maior.

2) A porta dos albergues fecha-se às 22:00 horas.

3) Os albergues deverão ser abandonados antes das 8:00 horas da manhã.

4) Para respeitar o descanso, as luzes apagam-se às 22:30 horas, com excepção das zonas comuns.

5) Os utilizadores deverão cuidar as instalações com a devida diligência, deixando-as arrumadas, limpas e, portanto, recolher e depositar o lixo nos correspondentes contentores.

6) Não se poderá desperdiçar água nem luz.

7) Para secar a roupa serão utilizados, exclusivamente, os varões e estendais.

O incumprimento dos deveres anteriormente citados, assim como qualquer conduta susceptível de ser considerada como perturbadora do bom funcionamento dos albergues, facultará aos seus responsáveis o direito a obrigar os infractores a abandonar os albergues, sem prejuízo da existência de responsabilidades, incluída a proibição do uso de qualquer outro albergue da rede.

SERVIÇOS

* Cama com roupa de cama descartável

* Uso da cozinha (sem loiças e utensílios)

* Duche (com água quente)

Fonte: xacobeo.es

bito

10.03.2010

O FIM DO CAMINHO – A COMPOSTELA

Com a institucionalização e posterior importância social que a Peregrinação a Santiago foi ganhando ao longo dos tempos, tornou-se necessário encontrar uma forma de certificar que os peregrinos realmente tinham feito a caminhada até chegar ao túmulo do Apóstolo.

Inicialmente, a certificação era feita pela a atribuição da Vieira com as insígnias de Santiago (ainda hoje Símbolo do Caminho), mas rapidamente começaram a surgir falsificações.

Dada esta situação, no Sec. XIII os prelados compostelanos e o Papa, criaram a Carta Probatória e excomungaram todos os falsificadores.

A Carta Probatória deu depois lugar à Compostela, que é actualmente o documento oficial que certifica que o peregrino fez o Caminho de Santiago.

A Compostela é um Certificado emitido pela Igreja Compostelana com o carimbo e a assinatura do Secretário Capitular da Igreja Compostelana.

A Compostela só poderá ser obtida em Santiago de Compostela, na “Oficina de Acogida al Peregrino” (perto da Catedral) e será atribuída, pessoalmente, apenas a quem apresentar a sua Credencial do Peregrino devidamente carimbada, provando que fez os últimos 100 km do Caminho a pé ou a cavalo ou os últimos 200 km do Caminho de biciclete, e em dias consecutivos.

Por outro lado, o Caminho deverá também ter sido feito por “pietis causa”, seja ele o Espírito Cristão ou quaisquer outros motivos espirituais e de busca interior. Caso contrário, existe outro tipo de certificação que também se obtem no mesmo local.

Se tudo correr como esperamos, no regresso aqui vos mostraremos as nossas!

bito
07.04.2008

50 responses

28 03 2008
Gonçalo

Boas amigos…
Tropecei no vosso Blog e como acabei de fazer o caminho (20,21,22,23 de Março) de mochila as costas e sozinho com a minha bike, não podia deixar de vos dar uma palavra de incentivo para esta vossa aventura.
No meu caso fiz o chamado caminho central português com saída do Porto, fiz uma média de 75Km dia e no ultimo um “pequeno passeio” de 27Km.
Estive a ver os vossos planos de no 1º dia chegarem a Valença… Não sei qual a vossa experiência no caminho nem a vossa “forma física” mas a etapa mais dura do caminho é Ponte Lima – Valença, são cerca de 40Km onde se tem de passar a mítica subida da Labruja – 440m de monte num trilho com cerca de 6Km quase sempre fora da bicicleta ou com ela as costas (não é figura de estilo).

Bom Caminho – Ultreia Suseia

12 08 2008
AACS_VIANA

Estivemos a ler partes do vosso Blog.
Parabens como trataram toda a informação do Caminho de Santiago!
Assim também se faz Caminho :)
aacs_viana

23 03 2009
Joana

gostei muito de ler este blog!!
em breve vou aventurar-me a pé com um grupo da escola!!
sei q vai ser uma aventura inesquecível…
parabéns :D

30 03 2009
carlos pais

Olá vou fazer os caminhos de Santiago a partir de 06 de Abril, vou começar no Porto com passagem por Ponte de Lima, penso demorar três dias, se alguém for nessa altura vai ter companhia, penso sair ao inicio da manha por isso se quiserem companhia já sabem.
Para todos buenos caminos.
Devo dizer que este vai ser o meu quinto ano consecutivo. Os últimos dois sozinho.
Já fiz quatro caminhos diferentes adorei todos, façam o mesmo garanto que vão gostar.
Um abraço a todos os caminheiros e para toda boa sorte.

26 04 2012
delcio seco

Olá Carlos Pais, é o Délcio.
Sempre o mesmo aventureiro! Ensinaram-nos a avançar sempre sem medo mas cientes que o que não vemos para além de nos animar, nos mantém atentos e operacionais!
Bom caminho meu amigo! Este ano voltarei a Santiago, desta desde Viseu, ainda não sei se só se acompanhado! Mas apesar de ser “novato” no caminho, adorei e voltarei sempre. Meu “projecto pessoal” é fazer o caminho francês que já fizeste.
Abração enorme.
Abraço a todos os amantes do “el canino”, de bike ou a pé, ou doutra forma qualquer.

4 10 2009
Andrea

O caminho de Santiago sempre esteve em meus sonhos, gostei muito de todas as informações que vcs mostraram, quem sabe um dia eu faça o caminho e volte aqui para descreve-lo tb né! abraços.

25 01 2010
Hélder Neves

Desde Já os meus parabens por este Espetacular Blog.

Obrigado por me terem facilitado a vida nos preparativos

30 01 2010
user

Olá Hélder Neves!

Antes de mais… Obrigado pelos seus simpáticos comentários e as nossas desculpas pelo atraso na resposta.
Acabei de aprovar os seus comentários e, caso alguém se decida a fazer-lhe companhia eu farei a ligação e assim ficarão em contacto.
Quanto ao caminho a seguir desde Sesimbra, o mais aconselhável será fazer o Caminho de Fátima (que desde Lisboa é conhecido e em grande parte coincidente com o Caminho de Santiago) e de Fátima já terá seguramente melhores e mais frequentes marcações do Caminho de Santiago.
De qualquer forma, btt a sério só mais lá para o norte… o início segue muito por estradas nacionais.
No entanto, veja nos links portugueses sobre o Caminho de Santiago, que temos no nosso blog, onde há algumas informações sobre o caminho partindo de Lisboa.
Quanto a estimativa de custos… depende tudo muito do seu espírito de sacrifício (relativamente a comidas e dormidas) e de quantos Km fará por dia e, consequentemente, de quantos dias levará a chegar a Santiago de Compostela.

Já agora, e uma vez que tem disponíveis os meses de maio e junho, permita-me que lhe dê mais esta sugestão… Faça tudo por estar em Santiago de Compostela no dia 25 de Junho!
É o dia de Santiago e por este ano coincidir com um domingo é um Ano Xacobeo… a festa vai ser a maior de sempre (e a próxima só acontecerá em 2021).

Sobretudo… mantenha a fé e não desista dessa sua “missão”!
Vai ver que é uma experiência para toda a vida!!!

Ultreia et Suseia
Um Abraço
bito

16 02 2010
ze sampaio

quero aqui dar uma força a todos os que tenham intensão de fazer o caminho eu já o fiz 8 vezes [françes desde s jean primitivo desde oviedo e outro que não me lembra o nome desde verim ] mas o meu sonho é fazer o de sevilha so tenho a dizer que foram as melhores ferias da minha vida por isso força nas canelas…… já agora para quem tem medo do caminho digo-vos que se faz bem barcelos porrinho num só dia

28 03 2010
Juarez Fraga Correa

Em primeiro lugara parabéns pelo brilhante trabalho desenvolvido, com grande clareza e objetividade, facilitando para a pesquisa. Se Deus permitir, rogo que sim, farei o mesmo itinerário, de Guimarães à Santiago, só que a pé. Para tanto desejo saber, se é do conhecimento de voces, de que nas pequenas localidades existentes no caminho, quais as que possuem albergues, ou qualquer outro tipo de instalação para os peregrinos.
Informo-lhe ainda que possuo tambem um blog de pescarias e viajens pelo Brasil, minha terra natal, http://www.fragacorrea.wordpress.com

31 03 2010
user

Olá Juarez!

Muito Obrigado pelo seu comentário…
A lista de “albergues oficiais” na data em que fizemos o nosso caminho é a que pode ver aqui no nosso blog.
Actualmente, abriu pelo menos mais um em Ponte de Lima e que também já está referenciado aqui no blog.
Sendo este um ano muito especial para o Caminho de Santiago, é possível que venham a surgir mais albergues ainda este ano… Se tivermos essa informação disse aqui daremos conta.

Ultreia et Suseia!
Um Abraço
bito

14 04 2010
Rui Pereira

Boas tardes a todos os leitores

eu e um grupo de amigos vamo-nos fazer á estrada nos proximos dias 22/23 e 24 deste mes, desde Matosinhos a Santiago
gostaria imenso de saber quais os locais onde se podem carimbar as credencias para além dos albergues, camaras, igrejas, etc. Soube que existem cafes e restaurantes carateristicos que tb o fazem
agredecia que me esclarecessem caso saibam
obr

cumps
rui pereira

30 04 2010
user

Viva Rui,

É de facto como diz, mas a melhor forma é seguramente ir descobrindo à medida que vai fazendo o seu caminho…
Garanto-lhe que não vai perder nenhum “marco importante”!

Um Abraço e Bom Caminho
bito

13 07 2010
João Pinto

Tudo é bom para carimbar, albergues, igrejas, restaurantes, bars, farmacias e mesmo se tiver o azar de ir ver um médico como eu por bolhas também o pode fazer.

Bom caminho
João Pinto

5 05 2010
Eduardo Esteves

Olá
É possivel obter um mapa do trilho de Viseu até Santiago de Compostela,
ou onde o posso obter.
Agradeço a vossa ajuda

Eduardo Esteves

29 08 2010
Juarez Fraga Correa

Agradeço as informações já prestadas sobre os albergues junto ao Caminho.
Desejo informar que já estou de passagens marcadas desde de o Brasil para Portugal, com saída dia 09/05/2011 e com retorno para o dia 27/05/2011.
Neste período, até a data do deslocamento entrarei em contato se alguma dúvida surgir. Desde de já meus agrdecimentos.

5 10 2010
Renusia

Juarez,
Bom dia, td bem?
Há alguns dias comecei a pensar em fazer uma viagem de alguns meses, ñ sabia o q fazer, nem para onde iria, e me lembrei de Santiago de Compostela, e fui pesquisar e aq estou, encontrei esse blog procurando mapas.
Se possível entre em contato comigo, gostei da sua data de partida, quem sabe podemos conversar, procurar pessoas interessadas e em grupo fazer essa peregrinação.
Abraços.
Renusia.

5 10 2010
Ricardo Dias

Boa noite,
Eu e um amigo vamos fazer o Caminho Português a Santiago em BTT, com inicio em Coimbra.
Estamos a programar na 1ª semana de Maio de 2011.
Além quer fazer-nos companhia?

Cumprimentos

Ricardo Dias

16 11 2010
oswaldo hardt

Alo Ricardo

Você mora onde? Pretende sair de que local?

Oswaldo

28 11 2010
Clube Amador de Desportos de Entroncamento - BTT

Existe a possibilidade de efectuar a Peregrinação pelo Caminho de Santiago no mês de Abril 2011.
Semana da Páscoa.
Saida do Entroncamento.

7 10 2010
Simone

Olá, antes de mais parabéns pelo blog e obrigada pela partilha!
Estive em Sesimbra e um guia local disse-me que a trilha onde estávamos e que levava a uma praia belíssima fazia parte do caminho de Santiago. Tenho buscado alguma referência sobre esta etapa do percurso na net, mas sem sucesso. Existe algum mapa que mostre ou indique esta etapa do caminho?
Obrigada!

15 02 2011
Miguel

olá amigos , não sei o caminho k vão fazer, mas se precisarem de ajudas ao passarem aqui no Minho mais propriamente em GUIMARAES disponham.Abraços e bons caminhos .

23 03 2011
MB

Estou a pensar fazer o caminho de Santiago desde Leon na Páscoa.
A pé.
Alguém interessado?

4 05 2011
Litos

Olá :),eu Litos, mais 3 amigos vamos fazer os Caminhos de Santiago , tendo ambos decidido sair da cidade de Guimarães (Guimarães – Campo do Geres – Ourense – Santiago de Compostela), mas não sei onde é o inicio do caminho de Santiago em Guimarães com direcção à cidade de Braga? Onde começam as setas amarelas em Guimarães?

Obrigado!

11 05 2011
João Lima

Mais uma vez vou fazer o Caminho de Santiago e como sempre a pé, desta vez vou fazer sozinho, penso que será uma experiência diferente.
E já a pensar no Caminho Francês…

31 05 2011
Victor Lavoura

Meus amigos, fiz a 1ª peregrinação em Btt de Lisboa a Santiago e volta a Lisboa em 2008 do Mês de Agosto em 17 dias. Com a idade de 63 anos.Na ida fui sempre pelo Litoral muito agradavel, seguindo após o Porto pelo Central até Barcelos, Ponte de Lima, Labruja , Pontevedra e Santiago. Muito dificil mas muito saudavel e muita Fé. No regresso vim pelo Litoral até Lisboa, fiz cerca de 1700 kms. Em Janeiro de 2009 fiz a 2ª peregrinação a Pé partindo do Porto para Santiago e percorrendo cerca de 350 kms em 12 dias com uma mochila de 65 litros, tendo tido no último percursso de Teo uma indesposição intestinal derivado a ter tomado no caminho agua de nascente possivelmente contaminada, ficando um dia de reposo por não ter forças para continuar. Porque após diarreia e desmaio no dia da Chegada a Teo e após ter jantado. De resto foi espectacular. Em Setembro de 2010 com 65 anos, ano Jacobeu, parti de Sacavém onde Resido para Santiago pelo caminho do Norte e do Norte pelo caminho Litoral (note-se que isto foi com muita fé derivado a que em Abril de 2009 tive um acidente em BTT na Cidade de Lisboa em que fraturei o Fémuro esquerdo e luxei o ombro esquerdo, tendo estado internado e em recuperação durante todo o Ano de 2009 e parte de 2010) até Santiago , andei cerca de 700 Kms em 22 dias. Em Padron dormi na pensão Luar “Jardim local”.Foi muito agradavel esta peregrinação, tendo levado uma mochila Lafhuna de 45 litros. Este ano pretendo fazer outra peregrinação a Santiago partindo de Olhão pelo caminho d’este junto à Raya de Espanha. A partida estaria prevista para dia 1 de Junho mas tive que adiar mais para a frente pelo motivo de não ter instalado os Mapas da peninsula no meu GPS e ainda não estar o plano de percursso organizado e além disso de ter que dar assistencia a um familiar “irmã”. Esta peregrinação será de cerca 1200 kms a cumprir em 43 dias a pé. Agora com 66 anos. Agradecia qualquer apoio de vossa parte no que conta a indicação de caminhos já percorridos, suas coordenadas para GPS e possivel implementação no GPS. Zonas de estadia, como capelas, adros e outros locais simples. Obrigado pela vossa atenção Victor

29 08 2011
Fernando Pereira

Olá malta.
Quero deixar aqui o meu agradecimento pela informação disponibilizada sobre a vossa aventura. Fiz o caminho desde Guimarães, em bicicleta, e foi fantástico.
Fiz o mesmo planeamento que voçês:
Dia 1 – Guimarães – Rubiães – 77 Km
Dia 2 – Rubiães – Pontevedra – 71 Km
Dia 3 – Pontevedra – Santiago de Compostela – 66 Km
E verificou-se ter sido a opção correcta. Dá para fazer o caminho sentindo o caminho.
Deixo, no entanto, uma nota para uma pequena incorrecção referenciada: o caminho desde Guimarães até Braga não é pela estrada nacional… Há verdadeiro camiño, bem sinalizado, e muito diversificado. Fica a nota…
Um abraço.

12 02 2012
Alexandre de Melo

Irei fazer o caminho portugues saindo de Porto no dia 06/04/2012. Me preocupo muito com a chuva. Você pegou chuva ou sabe se a probalidade de chuva nessa época do ano é alta?

17 04 2012
joaquim viegas

talvez apanhes alguma que nessa epoca e terrivel em termos de precipitação

4 04 2012
António Ribeiro

Bom trabalho, grato e lá estarei no caminho, em maio 2012.
Abraço

5 04 2012
raul viegas

entao boa noite a todos os peregrinos.
bem como estive a ver as vossas peregrinaçoes…
vou tambem relatar a minha na companhia de minha esposa mae prima e primo… em marco de 2008..
todos na casa dos quarenta e a mae com 70….
entao fomos de setubal fatima santiago…
foram uns bons 17 dias pra percorrer ha volta de 680 km…
estamos a pensar em ir novamente…
agora ja todos nos cinquenta minha mae ta teimosa que com 74 ainda quer ir… tivemos um tempo muito dificil sempre com chuva mas tudo passou, e la conseguimos chegar…
a partir de fatima fomos por freixianda,rabaçal,condeixa,coimbra,mealhada,agueda,oliveira de azemeis,porto,vilarinho,barcelos,ponte lima,valencia,ponte vedra,redondela,briallos,padron,teo,e por fim , SANTIAGO…
foi uma experiencia que jamais se esquece que se fica com vontade de repetir..
a todos os peregrinos um bem aja…
todos anos fazemos setubal fatima uns ha mais anos outros ha menos..
nao fazemos as peregrinaçoes programadas…
somos um grupo de familia em que temos amigos que tambem nos acompanham..

22 04 2012
Alexander Montoza Castro

Olá só o Alexander só de Lagos /algarve, estou a procura dos meus caminhos de Santiago de Compostela. De Lagos á santiago sera que me podiam ajudar a encontrar alguma coisa. Agredecia que me pudessem aujdar.

10 05 2012
rosa pimenta

boa tarde, não sei se este é o melhor modo de tirar duvidas, mas aqui vai,. Moro em matosinhos e gostava de encetar esta viagem , mas não conheço ninguém que o faça. Este ano soube que um ginasio vai em junho começar mas é de bicicleta eu não sei andar, se soubessem de algum grupo que fosse, gostava de saber. Atentamente Rosa Pimenta

17 07 2012
Gbriel Coelho

Olá, estou a fazer pesquisas, para fazaer o caminho a SANTIAGO a pê, Partida do Porto, espero seja depois do 16/08/2012, vou aproveitar as feiras.
Vou fazer o caminho só, pois não tenho encontrado quem também o queira fazer.
A minha preocupação e o descanso, mais sei, que tudo vai correr bem.
Se me poderem dar dicar agradecia.

21 10 2012
Sérgio Carvalho

ADOREI

23 12 2012
paulo antunes

Parabéns por este excelente trabalho!! Uma bela descrição do percurso de Santiago, ficamos com vontade de o fazer. E é o que eu vou fazer em junho, espero, em bicicleta! Obrigado pelos vosso mapas e conselhos. Vou segui-los!

8 03 2013
Tiago Silva

Olá! fiz o caminho em setembro de 2012 a partir de barcelos a pé e sozinho.aconselho vivamente a quem estiver na duvida,é um acontecimento unico e marcante par ao resto das nossa vidas!quero repetir o caminho,foi uma abertura de mente e um acreditar em capacidades que desconhecia em mim!obrigado!

28 06 2013
Hélder Marques

Alguém sabe o caminho para Santiago a partir de Lisboa?
Já fiz o caminho a partir do Porto, mas fui pela estrada nacional até Valença, concerteza haverá outro, se algum companheiro puder responder agradeço. O meu email é marhelder@gmail.com. Muito obrigado.

9 09 2013
Maria

Cheguei ontem de Santiago ao fim de 8 Dias a andar, experiencia unica faz bem a alma . Obrigada pelas indicacoes uteis. Aconselho vivamente a fazerem o caminho , nem que seja so uma vez na vida.
Caminho litoral portugues

31 10 2013
Inês

Adorei a informação! No ano (2014) vou de bicicleta com os Escuteiros fazer o caminho de Guimarães – Santiago !!!
Estou com um pouco de receito dos caminhos que vou percorrer com a bicicleta, digamos que não sou nenhuma “pró” em caminhos radicais ahaha

31 10 2013
Paulo Antunes

Olá!
No passado mês de março fiz o caminho em bicicleta, em plena autonomia e sozinho, experiência única, saindo do Porto, Barcelos, Caminha, Vigo, Pontevedra e Santiago! Muita chuva mas só nos últimos dois dias. Para o próximo mês de Julho de 2014 espero fazer o caminho primitivo, desde Oviedo até Santiago, se alguém tiver alguma informação útil a dar sobre este caminho, agradecia!

14 11 2013
Daniel DaSilva Mira

Olá o meu nome é Daniel, no passado mês de Julho de 2013 fiz o meu Caminho de Santiago em BTT sozinho e em completa autonomia desde Terena pelo Caminho Português do Interior do Leste e voltei pelo Caminho Português em direcção a Fátima e Por fim Terena de novo num total de 1910 km…não sei nada do caminho a partir de Oviedo mas pelo Leste Português foi realmente muito duro pela sua geografia e terrenos deveras extremos e na parte Interior Leste precisam melhorar muito a marcação do Caminho pois está marcada até certo ponto e a seguir nada, acabou a marcação se não percebes o minimo a utilização de bússula e mapa e saberes navegar o terreno tás feito ficas no meio … ou então gps mas com mapa tipo google earth apesar de saber utilizar bem a bússula e mapa o gps com carta de satélite foi o que mais utilizei e me desenrrascou a 100% e quanto à parte de auxilio minimo por parte de instituições a um peregrino é zero, os únicos que te dão apoio são os Bombeiros Voluntários nem que seja deixarem descansar no parque de estacionamento depois de um dia a pedalar e a caminhar,(às corporações que me auxiliaram o meu obrigado). Na Galiza é completamente ao contrário, os terrenos são bem mais fáceis que em Portugal, o caminho bem marcado e todos te ajudam entre aspas, quando estiveres no caminho na floresta não saias dele pois aqui caçam todo o ano caça grossa pode acontecer algum tipo de acidente se é que me faço entender… No mês de Julho, calor abrasador, mudei a pele duas vezes em 15 dias apesar de protetor e creme solar de factor elevado fiquei com os braços principalmente, cheios de bolhas algumas bem grandes, pois ingeri muita àgua por causa da desidratação e o corpo expele o exedente pelos poros, imagina a quantidade de bolhas que se formaram na pele, atenção muito creme para as assaduras se é que me faço entender, atenção à quantidade de àgua que levas, aqui em Portugal e mesmo em Espanha por 3 ou 4 vezes acabou e ficar sem àgua quando estás a fazer este tipo de coisa pode ser meio frustrante, como já fizeste em autonomia do Porto certamente reparaste que levaste coisas a mais por certo na bagagem também eu se voltasse a fazer um tipo de viagem assim deixava algumas coisas… Espero que tenha ajudado em algo… Só me resta desejar… Un bon camino…

15 11 2013
Daniel DaSilva Mira

Bon Camino…

18 12 2013
Maria Gilvanete Santos

quero fazer a caminhada para Santiago a partir de Pontevedra, tenho 4 dias só para isso, como faço?

23 12 2013
Paulo Antunes

Olá Maria Santos! É muito simples, eu fiz o caminho do Porto a Santiago, em 4 dias, mas de bicicleta, sozinho e em autonomia. Acho que a Maria irá a pé, pelo que, poderá dividir os dias como quiser, pois tem tempo, o mais simples será assim: 1º dia: PONTEVEDRA – CALSAS DE REIS(+/-23km), Sem dificuldades, com uma subida longa mas suave e desce também muito suavemente, até Caldas de Reis. 2º dia: CALDAS DE REIS – PADRÓN
(+/-19km) Neste troço passa por 2 montes e três rios (um deles duas vezes). As subidas são um pouco mais intensas que as anteriores, mas nada de difícil, depois desce e entra-se numa zona de planalto para finalmente descer até Padrón. 3º dia: PADRÓN – SANTIAGO DE COMPOSTELA (+/-20km). finalmente a última jornada, começa suave mas acaba com duas subidas, exigindo o último esforço até à chegada a Santiago de Compostela. Nada de difícil, é preciso muita calma, não antecipe as dificuldades, vai ver que tudo corre bem, pois o caminho é isso mesmo. Acontece e faz-se, suavemente. Não leve sapatos novos, leve os mais confortáveis, não leve muito peso, só o essencial, e o essencial nunca é tanto como pensamos, só mesmo o essencial, por ex. não leve o chompoo cheio, leve só metade do champoo, não leve 2 pares de sapatos, leve só, não leve uma pasta de dentes, só o mínimo da pasta, etc. Se quiser consultar o meu caminho, pode ver o meu blogue: http://blocodenotassoltas.blogspot.pt/,
qualquer dúvida por expô-la no meu mail: pjcbranco@hotmail.com, bom caminho

10 01 2014
Raul Marques

ola a todos,eu ja fiz o caminho de valença ate pontevedra,mas por infelicidade tive de voltar, mas agora vou fazer de novo o mais cedo possivel desde que esteja bom tempo(2014,e sem chuva,o frio nao incomoda).
quem estiver com planos de ir só avise,eu gosto de andar sózinho mas nestas andanças começamos sós e acabamos sempre com gente ao lado,(ja fui a fatima e foi igual).
abraços

10 01 2014
Raul Marques

…ja agora saio de felgueiras-guimaraes-braga,etc..bom caminho a todos.

10 01 2014
Raul Marques

Maria podemos combinar e encontramo-nos em ponte vedra(já fui ate lá) mas agora vou fazer de inicio,e sim,dá perfeitamente para fazer em 4 dias,sao +- 50 km e acho que há 3 albergues nesse caminho ate santiago,portanto dá uma media muito facil de fazer para quem nao está habituado a andar longas distancias.

4 04 2014
Guto Capucho

Amigos, me chamo Augusto Capucho, sou do Brasil e estou escrevendo um livro infanto-juvenil que se passa em uma vila medieval em Portugal. Este site me trouxe muitas idéias. Abraços!

4 07 2014
Pedro Silva

Boa noite!
Estou a preparar um passeio de “casal boss” a Santiago apartir de Vila Nova de Gaia e procuro um mapa o mais simplificadfo possivel. As vossas indicações apartir de Ponte de Lima são muito boas mas aindame falta desde Vila Nova de Gaia.
Felicitações a todos!
Pedro

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s




Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 30 outros seguidores

%d bloggers like this: